Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Última hora:



Mundo ► Ciência

Inclusão fluida presente em amostras colhidas durante as missões Apollo na Lua (Foto: Saal Lab/Universidade de Brown)
27-08-2015 18:15
 
Investigação conclui sobre a ocorrência de fontes de lava na Lua

Fragmentos pequenos de vidro vulcânico colhidos na superfície lunar durante as missões Apollo 15 e 17 provam a ocorrência de vulcanismo sob a forma de fontes de lava na Lua.

 

Uma fonte de lava, fenómeno vulcânico muito frequente por exemplo no Havai, consiste em jatos de gás e piroclastos fluidos e incandescentes projetados para o ar, que caem próximo do centro eruptivo. Requer, portanto, a presença de voláteis misturados com a lava emitida. À medida que a lava ascende à superfície, os voláteis transformam-se em gases, e é a expansão desses gases que causa a fragmentação da lava. No entanto, uma das questões que continuava sem resposta era qual o gás que permitia a ocorrência daquele fenómeno na Lua. Estudos recentes desenvolvidos por cientistas da Universidade de Brown e do Carnegie Institution for Science permitiram desvendar esse mistério.

 

A investigação, publicada na Nature Geoscience, incidiu na análise de inclusões fluidas de magma que ficaram capturadas em cristais de olivina, permitindo verificar que o gás presente no magma é o carbono, sugerindo assim que a lava associada às fontes de lava lunares continha quantidades significativas daquele gás. À medida que atingia a superfície, o carbono combinava-se com o oxigénio, produzindo monóxido de carbono, sendo este o gás responsável pela produção de fontes de lava na Lua e emissão de fragmentos de vidro vulcânico.

 

Segundo os investigadores, a pesquisa possibilitou ainda verificar que os reservatórios de voláteis existentes no interior da Lua têm uma origem comum à dos existentes no planeta Terra. Com efeito, a quantidade de carbono detetada nas inclusões fluidas é muito semelhante às concentrações de carbono encontradas em basaltos provenientes das cristas médio-oceânicas, dados importantes para compreender a origem da Lua. Os cientistas acreditam que a Lua se formou da acreção de fragmentos resultantes do impacto de um meteorito com a dimensão de Marte na Terra.



Fontes


Carnegie Science
The Daily Galaxy

Informação Relacionada


Imagens Adicionais


Anexos



Notícias Relacionadas


Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.
Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.