Iniciar sessão

Navegar para Cima
A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.
Última hora:
  • Ilha de S. Jorge (Sistema Vulcânico Fissural de Manadas) em Alerta Científico V3, após reativação do sistema vulcânico em profundidadeIlha Terceira (Vulcão de Santa Bárbara) em Alerta Científico V2 devido aos níveis de atividade microssísmicaAtividade sísmica na ilha de São Jorge encontra-se acima dos valores normais de referênciaAtividade sísmica no Vulcão de Santa Bárbara (ilha Terceira) encontra-se acima dos valores normais de referênciaIlha de S. Jorge, último sismo sentido: 8 de agosto às 08:06h, intensidade máxima III/IV na freguesia de VelasCIVISA apela ao preenchimento do inquérito de macrossísmica em caso de sentir um sismo



Mundo ► Fenómenos Naturais

Destruição na cidade da Beira pelo ciclone Idai (Foto: Josh Estey/CARE)
18-03-2019 16:30
Moçambique, Zimbabwe e Malawi
Ciclone Idai devasta o sul de África

Os países do sul de África foram atingidos pelo que é possivelmente o ciclone mais mortal já registado na área. O ciclone Idai causou pelo menos 150 mortos e afetou mais de 1,5 milhão de pessoas. O ciclone atingiu Moçambique em primeiro lugar na noite de quinta-feira, com a cidade da Beira e as suas aldeias circundantes a serem as áreas mais afetadas. A Cruz Vermelha afirma que mais de 90% daquela cidade ficou destruída. O ciclone progrediu depois para oeste em direção ao Zimbabwe e a Malawi, afetando mais alguns milhares de pessoas, em particular nas zonas orientais da fronteira com Moçambique. As autoridades dos três países alertam para o agravamento das cheias nos próximos dias devido à continuação de chuvas torrenciais, à saturação dos solos e às descargas de barragens.

Em Moçambique, pelo menos 66 pessoas morreram devido ao ciclone, e espera-se que o número aumente nos próximos dias. O diretor nacional da organização humanitária internacional CARE em Moçambique, Marc Nosbach, informou que as estradas de acesso às áreas atingidas pelo ciclone foram completamente bloqueadas por árvores caídas e entulho. Avança que existem danos significativos em casas e edifícios, incluindo instalações de saúde e escolas, e que a energia elétrica está cortada desde quinta-feira, e que as comunicações por telefone e internet estão em baixo.

Após ter sobrevoado a zona afetada pelo ciclone, o Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, referiu que os danos provocados são muito preocupantes, e realça a gravidade da situação, salientando que continua muita população em cima das árvores e das casas. O presidente admite mesmo que pode haver mil mortos e mais de cem mil pessoas em risco de vida.

No Zimbabwe, a tempestade causou ventos fortes e precipitação torrencial na parte oriental do país, fazendo com que os rios transbordassem. Até ao momento, há a registar pelo menos 31 mortos e mais de 100 pessoas ainda estão desaparecidas. Jan Schollaert, diretor da CARE no Zimbabwe informou que houve cheias rápidas, movimentos de vertente e destruição de meios de subsistência e propriedades.
 
Em Malawi, pelo menos 56 pessoas morreram na sequência de cheias rápidas que precederam o ciclone. O diretor da CARE no país explicou que as inundações causaram destruição significativa na semana passada, e que com a chuvas do ciclone as áreas já inundadas podem enfrentar ainda mais destruição e perdas.
 
As operações de busca e resgate estão a ser dificultadas devido à destruição das vias de acesso e falta de redes de comunicações. No entanto, a ajuda humanitária já chegou a alguns dos locais afetados. Um avião com ajuda alimentar da ONU desembarcou no domingo na cidade da Beira, centro de Moçambique, para o apoio às vítimas do ciclone Idai, com 22 toneladas de biscoitos nutritivos que darão para 22 mil pessoas durante os próximos três dias.

A CARE estima que sejam necessários pelo menos US $ 16.920.000 para fornecer o apoio necessário às comunidades afetadas.


Fontes


CARE
Reliefweb
Público
Observador
Expresso
RTP
Imagem de rosto: EPA

Informação Relacionada


Imagens Adicionais


Anexos



Notícias Relacionadas


Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.
quinta-feira, 27 de Janeiro de 2022
A tempestade tropical Ana, que atingiu, no passado dia 24 de janeiro, o sudeste do continente Africano, deixou um enorme rasto de destruição em países como Moçambique, Madagáscar, Maláui, Zimbabué e Zâmbia.Em Moçambique, o Instituto Nacional de Gestão e Redução de Desastres confirmam a morte de pelo menos 18 pessoas. Calculam ainda, que mais de 200 000 pessoas foram afetadas pela tempestade e mais de 3 000 casas e edifícios (c...
terça-feira, 30 de Abril de 2019
​O balanço mais recente do número de mortos relacionados com a passagem do ciclone Kenneth e consequentes inundações aponta para 38 e ainda 39 feridos, aponta o governo moçambicano esta segunda-feira. De acordo com o Asociated Press, o ciclone que continua a provocar chuvas fortes e inundações, e que não deverá parar nos próximos dias, está a dificultar os esforços para a entrega de bens alimentares e criação de abrigos. Segu...
segunda-feira, 29 de Abril de 2019
Este domingo, equipas de resgate mobilizam-se para ajudar a população atingida pelo rápido aumento dos níveis das águas na cidade de Pemba, no norte de Moçambique, causado pela passagem do ciclone Kenneth. A tempestade atingiu a província de Cabo Delgado na quinta-feira, causando a morte a 5 pessoas, e desde então atingiu uma área propensa a inundações e movimentos de vertente. Teme-se que o nível das águas dos rios conti...
segunda-feira, 25 de Março de 2019
O balanço mais recente dos números relacionados com a passagem do ciclone Idai no sul de África é de 446 mortos em Moçambique, 259 mortos no Zimbabwe e 56 mortos no Malawi. O ministro da Terra e do Ambiente moçambicano, Celso Correia, sublinhou que estes números são provisórios, uma vez que à medida que o nível da água vai descendo, vão aparecendo mais corpos. O número de pessoas afetadas em Moçambique subiu para 794000. Os ce...
sexta-feira, 15 de Março de 2019
As chuvas torrenciais que afetaram nos últimos dias Moçambique causaram inundações nas províncias de Tete e do Zambeze, segundo o Gabinete das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários.   Segundo a porta voz do governo moçambicano, Ana Comoana, há a registar pelo menos 66 mortos, 111 feridos e a destruição de mais de 6000 casas. A mesma avançou que foram abertos 16 centros nas duas províncias afetadas para acol...
Error in WebPart: A aplicação Web não foi encontrada em http://ivar.azores.gov.pt/noticias. Verifique se escreveu o URL correctamente. Se o URL tiver de fornecer conteúdo existente, o administrador do sistema poderá ter de adicionar um novo mapeamento do URL do pedido à aplicação de destino.Click here to edit the properties of this web part.